“Com o tempo”, de Isabel Minhós Martins e Madalena Matoso

com o tempo

 

O que é o tempo? Como é que ele pode tornar alguma coisa melhor? Será que tudo muda com ele? É um conceito real e concreto, como um conjunto de segundos, minutos, horas, dias, semanas, meses, anos, décadas, séculos. E, também, é algo abstrato, como as memórias de um período distante. O tempo está sempre a passar, a passar e a passar. Essa inexorável passagem é o tema do magnífico livro “Com o tempo”, de Isabel Minhós Martins e Madalena Matoso, que apresenta uma seleção de situações nas quais o tempo atua como agente principal de Continue reading

Leave a comment

Filed under Ilustração, Literatura

Orfeu Mini Livraria

orfeu mini livraria 1

 

É a editora de livros portuguesa que mais consenso reúne entre crianças que sabem o que querem e pais que sabem o que fazem – e vice-versa… E agora, durante dois breves mas felizes meses, é também a livraria que melhor celebrará essa vocação convergente de excelência. A Orfeu Negro – que através da sua coleção Orfeu Mini tem vindo a publicar desde há meia dúzia de anos obras viciantes de autores como Oliver Jeffers, Catarina Sobral, Benjamin Chaud, Javier Sáez Castán, Jon Klassen, Beatrice Alemagna ou William Wondriska – tem temporariamente as portas abertas no número 171-A da Rua Saraiva de Carvalho, em Campo de Ourique, Lisboa, num espaço que ocupa entre o Continue reading

Leave a comment

Filed under Ilustração, Literatura

“O Rei Artur”, de Claudio Hochman

cartaz claudio hochman o rei artur

 

No pequeníssimo e histórico Teatro de Carnide – Sociedade Dramática, Lisboa, até 20 de dezembro, está este “O Rei Artur”. Imperdível, claro, por várias razões: este é verdadeiramente um espetáculo de teatro musical para todas as idades, tal como o seu sub-título indica – pais e avós, filhos pequenos, médios, grandes e assim-assim, adolescentes e jovens não serão capazes de manter sobrancelha franzida, de evitar o sorriso, de assegurar o mais composto ar de severa Continue reading

Leave a comment

Filed under Teatro

H de Haddock

captain haddock 1

 

Personagem secundária de um incontornável universo imagético literário, visual e cultural do século XX: a internacionalíssima coleção de banda desenhada Tintin, a preferida do seu genial criador Hergé (Georges Remi, 1907 / 1983). Talvez inspirada em Edgar P. Jacobs (autor de Blake & Mortimer), em Bob de Moor ou num irmão militar de Hergé, nem os críticos e especialistas estão de acordo quanto às origens deste anti-herói que tantas vezes rouba protagonismo ao jovem repórter. Apesar de ter nascido na Continue reading

1 Comment

Filed under Ilustração, Literatura, Ram Ram

Jazz em Agosto 2014

jazz em agosto 2014

 

Seria efetivamente inevitável? Ou nem por isso…? As guitarras vão contaminar inapelavelmente o Jazz em Agosto deste 2014. A 31ª edição do festival lisboeta – que começa com o mês que o nomeia – foca-se com particular empenho num instrumento cujo protagonismo no repositório jazzístico não é – salvo uma generosa dúzia de exceções, extensíveis de Charlie Christian a Derek Bailey, passando por Django Reinhardt, Wes Montgomery ou Jim Hall – por demais assinalável. Partindo dessa premissa, difícil seria garantir uma agenda com o Continue reading

Leave a comment

Filed under Cinema, Música

“A flor do equinócio”, “Bom dia” e “O fim do outono”, de Yasujirô Ozu

yasujiro ozu ohayo

 

Parafraseando um dos seus mais emblemáticos títulos, celebremos o facto de, um ano depois da primavera comercial tardia de “Viagem a Tóquio” (1953) e “O gosto do saké” (1962), Yasujirô Ozu estar de regresso aos cinemas portugueses com um ciclo no Espaço Nimas (com uma breve passagem, em agosto, pelo Theatro Circo, Braga, e, em setembro, também pelo portuense Teatro Municipal Campo Alegre), que, a partir de hoje, exibirá três das mais esplendorosas longas metragens da fase final da sua filmografia, agora em versões restauradas digitalmente. “A flor do equinócio” (1958), “Bom dia” (1959) e “O fim do outono” (1960) são três dos apenas seis filmes que Ozu dirigiu a cores. Talvez por esse motivo, as três obras que agora iluminam a sala do Nimas parecem sublinhar e consolidar as particularidades que distinguem a vasta carreira do realizador, não somente quanto às escolhas narrativas – o tema da família e das Continue reading

Leave a comment

Filed under Cinema

Jagwa Music, concertos em Lisboa, Sines e Barcelos

jagwa music

 

Os Jagwa Music, associação de músicos de rua da Tânzania e guardiões universalistas do arsenal de códigos sónicos a que se convencionou chamar mchiriku, constituem-se num som de indesmentível vigor e de inequívoco rigor, de ânsia rítmica e dissonância melódica. Música visceralmente original – porque em ligação direta à nossa origem sensorial – e radical – porque em permanente exploração das Continue reading

Leave a comment

Filed under Música

Gabriela Albergaria na Vera Cortês Art Agency, Lisboa

gabriela albergaria european copper beech wave hill garden ny 2014

 

O corpus artístico que Gabriela Albergaria tem vindo a desenvolver nas últimas décadas tem uma coerência que evidencia um ímpeto entusiasta para explorar um tema até à sua exaustão. Certos trabalhos tiveram origem numa exploração concetual dos jardins e parques enquanto representações do nosso imaginário. No entanto, com esta parecem surgir outros problemas que lhe são extensíveis, tais como a Continue reading

Leave a comment

Filed under Artes plásticas

“Vazio”, de Catarina Sobral, e “Capital”, de Afonso Cruz

capa catarina sobral vazio

 

Depois do auspicioso início da coleção Imagens Que Contam – com “Bestial”, de André da Loba, e “Sombras”, de Marta Monteiro -, a editora Pato Lógico lança “Vazio”, de Catarina Sobral, e “Capital”, de Afonso Cruz. Apesar da capa cartonada e do formato maior, a ligação é inequívoca: o título fornece a palavra-chave que nos permite ler as histórias apenas através de imagens, libertando-nos da materialidade verbal da narrativa. Em Afonso Cruz, destaque-se o uso que o ilustrador faz das cores planas, atente-se nas subtilezas de sombras e traços ou na força expressiva minimal dos olhares, que nos abrigam do cliché temático que Continue reading

Leave a comment

Filed under Ilustração, Literatura

“O grande mestre”, de Wong Kar-wai

capa o grande mestre

 

Estamos perante um modo peculiar de recontar a odisseia de Ip Man (1873 / 1972), o lendário mestre de artes marciais, pelos enleios das quatro estações do ano, sob o molde de capítulos emocionais da vida daquele que foi o mentor de Bruce Lee. Uma vez mais, é a eloquência sem palavras da linguagem do amor que continua a centrar o argumento do autor de “Disponível para amar” (2000). Porém, são os faustosos e complexos silogismos do movimento dos corpos na Continue reading

Leave a comment

Filed under Cinema

“Tiny worlds”, de Rushes

rushes tiny worlds

 

São pequenas histórias acerca do que acontece quando passamos, distraidamente, pela rua. Nesses mundos em miniatura, ocultam-se maravilhas – máquinas-brinquedo que cuidam dos Continue reading

Leave a comment

Filed under Video

“Lego building guides”, de Chris McVeigh

chris mcveigh rotary telephone red

 

Tinham um seletor giratório, uma emoção em jogo de disco com orifícios, um para cada número, para diante e para trás, com um sofisticado clique final. Os mais comuns eram pretos, mas também os havia em verde. O mais icónico era, sem dúvida, o Continue reading

Leave a comment

Filed under Brinquedos, Design, Fotografia

“Water fountain”, de Tune-Yards

joel kafali tune yards water fountain

 

Celebramos o absurdo neste dia do trabalhador com o novo videoclipe dos Tune-Yards, da autoria de Joel Kafali, que anuncia a chegada do novo álbum do grupo, “Nikki nack”, publicado na próxima semana – “Water fountain” é musicalmente tão previsível quão Continue reading

Leave a comment

Filed under Música, Video

“A bird ballet”, de Neels Castillon

neels castillon a bird ballet

 

Não é um filme de Hitchcock. Não é uma montagem. Ou talvez até seja. Não importa. Um acaso maravilhoso permitiu que uma equipa de filmagens, à espera de gravar um anúncio com um helicóptero voando em direção ao por do sol, fosse surpreendida por um Continue reading

Leave a comment

Filed under Dança, Publicidade, Video

Celebrando o 25 de abril na literatura para crianças e jovens

antonio jorge goncalves salgueiro maia o homem do tanque da liberdade

 

“A revolução dos cravos”, entre contos e poemas, ilustrações e fotografias, continua a cativar escritores e ilustradores. As dimensões míticas que se agigantam em torno desse histórico acontecimento e a sua urgente centralidade parecem refletir-se com grande rapidez e Continue reading

Leave a comment

Filed under Ilustração, Literatura, Ram Ram

“Yolkfish”, de Peleg Design

peleg design yolkfish

 

Confessamos. Gostamos de ovos. Do que representam ou podem representar, das versões e símbolos, das metáforas às lendas, das histórias aos adágios populares e adivinhas. Gostamos de quem os põe, de quem os dá, os oferece, os pinta, os cozinha com arte, os parte e reparte. Com ou sem tradição, não resistimos à tentação do Continue reading

Leave a comment

Filed under Design

Gabriel García Márquez [1927 / 2014]

gabriel garcia marquez

 

“Nas prateleiras estavam os livros, encadernados num material cartonado e pálido como a pele humana tisnada e os manuscritos conservavam-se intactos. Apesar de fechado durante tantos anos, o ar parecia mais puro do que no resto da casa. Era tudo tão recente que, algumas semanas depois, quando Úrsula entrou no quarto com um balde de água e uma Continue reading

Leave a comment

Filed under Literatura

“O meu avô”, de Catarina Sobral, vence principal prémio de ilustração da Feira de Bolonha

capa o meu avo

 

Mais uma notícia de máxima relevância para a ilustração portuguesa: a autora Catarina Sobral foi a vencedora do 5º Premio Internazionale d’Illustrazione Fiera del Libro per Ragazzi – Fundación SM 2014, atribuído hoje em Bolonha, Itália, com a sua mais recente obra, “O meu avô”, que aqui destacamos há poucas semanas. O livro concorreu com outros 3189 participantes, oriundos de 59 países, triunfando graças à Continue reading

Leave a comment

Filed under Ilustração, Literatura

“O sonho de Wadjda”, de Haifaa Al-Mansour

haifaa al mansour o sonho de wadjda

 

Sublinhemos dois factos que conferem a “O sonho de Wadjda” uma singularíssima identidade: trata-se do primeiro filme inteiramente rodado na Arábia Saudita e da primeira longa metragem dirigida por uma mulher saudita. Que o seu tema seja uma história feminina, eis o que apenas reforça a sua importância simbólica. Aliás, de forma talvez mais precisa, devemos dizer que se trata de uma história conjugada no feminino, questionando as fronteiras da vida quotidiana de uma personagem muito concreta — chama-se Wadjda, tem 11 anos e quer uma bicicleta… A simples manifestação de tal desejo basta para Continue reading

Leave a comment

Filed under Cinema

Dia de dizer coisas ao pai

capa sapato de fogo e sandalia de vento

 

Hoje é dia de dizer coisas ao pai. Ou de as ler. Coisas belas, que fiquem para sempre. Aqui ficam duas ideias:

De Ursula Wölfel, a história de um pai e de um filho que partem numa viagem a pé, durante as Continue reading

Leave a comment

Filed under Ilustração, Literatura