“Oinc! – A história do Príncipe-Porco”, de Isabel Minhós Martins e Paula Rego

 

Aos contos populares italianos, recolhidos e registados por escrito por Straparola, cabe a honra de encabeçar a já longa linhagem de narrativas maravilhosas europeias. Este conto em particular, incluído nas “Piacevole notti” (1557), é recontado, por exemplo, por Marie-Catherine d’Aulnoy (com o título “Le Prince Marcassin”), uma das mais prolíficas cultoras do género em finais do século XVII. De acordo com os rigorosos manuais de civilidade e etiqueta, o príncipe modelo nasce transformado no seu oposto animalesco. Não obstante todas as tentativas de domesticação, vestindo-o e educando-o, os instintos animais concretizam-se na sua aparência, nos hábitos e no seu perfil psicológico caprichoso, agressivo, insuportavelmente monstruoso. Em causa estariam porventura temas-chave, como os casamentos por imposição parental ou o papel “civilizador” feminino sobre o selvagem masculino.

 

 

Num projeto que se pretende vocacionado para um público infantil, são seis as litografias da série “Príncipe-Porco”, da Coleção Fundação Paula Rego / Casa das Histórias, datadas de 2006, que surgem agora reordenadas e acompanhadas pela escrita de Isabel Minhós Martins, a partir de uma tradução de João Colaço Barreiros da versão “Re Crin” de Straparola. O universo perturbante e perturbador, fremente de violência, domesticidade, dominação, rebeldia e morte, típico das personagens e das narrativas visuais fantástico-realistas mordazes e grotescas da pintora Paula Rego, é nesta obra contrabalançado pela voz narradora, terna, irónica e onomatopaicamente expressiva, dramática e maternal, de Isabel Minhós Martins, coadjuvada pelas ousadias gráficas agigantadas do lettering e das estratégicas janelas circulares recortadas nas páginas. Estas três dimensões instilam na leitura a peripécia do jogo, da ilusão, do desafio à convenção. As interpretações misóginas e o erotismo evidente nas narrativas arquetípicas do animal-noivo surgem claramente suavizadas na versão de Isabel Minhós Martins. Cumpre-se a metamorfose desejada apenas quando o amor é verdadeiro – o porco transforma-se, de facto, em príncipe.

Outros títulos para a infância e juventude com ilustração de Paula Rego disponíveis em Portugal são “As botas do sargento” (2001), de Vasco Graça Moura, “Rimas de berço” (2001), uma seleção de rimas infantis inglesas recriadas poeticamente por Adília Lopes a partir de traduções de Paula Pina, e “As aventuras de Pinóquio” (2004), de Carlo Collodi.

 

“Oinc! – A história do Príncipe-Porco”, de Isabel Minhós Martins [texto] e Paula Rego [ilustrações]
Orfeu Mini, 2011
[a partir dos 5 anos]

 

Paula Pina

Advertisements

Leave a comment

Filed under Artes plásticas, Ilustração, Literatura

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s