“Um livro para todos os dias” e “Ir e vir”, de Isabel Minhós Martins e Bernardo Carvalho

 

A aguardada reedição de “Um livro para todos os dias”, embora num formato ligeiramente maior, continua a exercer o seu encanto, indiferente a quaisquer destinatários preferenciais: esconde-se na gaveta da mesa de cabeceira, espreita na mala, escorrega da pasta, disfarça-se de manual. Pode ler-se em voz alta (cantado, declamado, gritado!) ou segredar-se ao ouvido. Pode até prescrever-se como remédio contra resfriados (e patrões) teimosos e desalentos persistentes. Pode oferecer-se. Hoje, por exemplo.

 

 

As ilustrações de Bernardo Carvalho para “Ir e vir” fizeram noticiada aparição na Bienal Internacional de Ilustração para a Infância – Ilustrarte 2012. Talvez por isso mesmo, porque as vimos nas suas translúcidas vivacidades de recortes e colagens, se estranhem agora nas páginas do livro. O que não se estranha já é a invulgar capacidade de observação do mundo e da vida, transposta para um texto que se pensou e repensou, numa linguagem que surpreende e que seduz, ampla e profundamente, adultos e crianças. De facto, Isabel Minhós Martins cria em “Ir e vir” uma micro história dos movimentos do homem, uma cronologia das migrações e deslocações, humanas e animais. Mas não só: descobrimos muito e somos convidados a descobrir mais ainda. As pretensões científicas, históricas, antropo-sociológicas, zoológicas e ecológicas, são óbvias, certamente, mas ganham dimensões poético-filosóficas inesperadas em cada momento, recompõem-se em curiosidades, expandem-se em humorísticos, sardónicos, explicativos, delicados ou irónicos apartes.

Apetece habitar estes cenários (e durante a viagem habitamo-los de facto, enquanto leitores e homens) e acompanhar a andorinha-do-mar-ártica, a borboleta-monarca, a baleia-cinzenta e o atum, os gnus, e caminhar com o mundo e a sua (nossa) história. Pensemos nisto, uma e outra vez, uma e outra vez, uma e outra vez, terminando como começámos, fim e/do princípio – “diz-se da cabeça que não é só para usar chapéu. Das pernas e dos pés dizemos nós também que não são só para usar sapatos. Com as pernas e os pés andamos, corremos… vamos.” “Talvez não fosse mau lembrar que os pés não são só para usar sapatos e que a cabeça não é só para usar o chapéu.” Pois não. Vamos? Vêm?

 

livro “Um livro para todos os dias”, de Isabel Minhós Martins [texto] e Bernardo Carvalho [ilustrações]
Planeta Tangerina, reed. 2012
[a partir dos 4 anos]

livro “Ir e vir”, de Isabel Minhós Martins [texto] e Bernardo Carvalho [ilustrações]
Planeta Tangerina, 2012
[a partir dos 5 anos]

 

Paula Pina

Advertisements

Leave a comment

Filed under Ilustração, Literatura

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s