Hervé Tullet [ilustrador convidado, semana 4]

 

Ilustrador, pintor e autor de incontáveis talentos, Hervé Tullet, nascido em França em 1958, faz dos sentidos matéria prima do seu trabalho e do livro um objeto mágico. Começou por ilustrar para a imprensa, mas desde 1994 que se dedica sobretudo ao desenho criativo para crianças. Hervé Tullet – que é o Ilustrador Convidado do Cria Cria em maio e junho – assinou nestas duas décadas um número estonteante de livros e jogos, sendo considerado um dos mais originais e prolíferos ilustradores do mundo inteiro. “Um livro”, pérola que chegou até nós em 2010, foi um estrondoso sucesso editorial e continua a encantar todos aqueles que têm a oportunidade de o descobrir. Os jogos “Artist’ik” e “Creat’ik” também já estão disponíveis em Portugal (igualmente por cortesia da Edicare). Hervé Tullet é um mestre de cores básicas e vibrantes, que explora os horizontes da imaginação e propõe um diálogo direto – tantas vezes físico – entre o livro e o público infantil, contornando as tendências simplistas da interatividade nos moldes da sociedade contemporânea. Os seus livros são uma constante redescoberta do prazer da leitura como pura experiência sensorial, para pequenos e grandes.

 

Cria Cria: Os seus momentos de criação são, por norma, felizes? Ou são difíceis? Tem uma relação saudável com todas as ilustrações que vai terminando e juntando ao seu portefólio? Fica sempre satisfeito com os resultados do seu trabalho?

Hervé Tullet: Há muitos momentos de inspiração: em qualquer momento pode surgir uma ideia ou uma ponta de ideia, e aí é preciso anotá-la rapidamente, porque as ideias fogem! Há um momento de inspiração em particular… Que é quando vou às escolas… É um momento muito importante para mim… Não para ler ou apresentar os meus livros, mas para vivê-los e, a partir deles, imaginar o que podemos fazer juntos (o grupo e eu). Esse é também um momento de improvisação e, portanto, de liberdade, de inspiração, porque é um momento em que eu sinto até onde é que se pode ir com as crianças (e aí acho que podemos ir muito, muito longe…). E, claro, esses são momentos muito felizes… Fazer viver os meus livros e, a partir deles, explorar outros caminhos… As minhas ilustrações raramente vão para o lixo. Reutilizo-as frequentemente, volto a trabalhá-las, isso dá-lhes uma história, uma matéria… E, depois, claro, tenho a obrigação de ficar satisfeito com o meu trabalho… Que horror, imaginar ver e rever um desenho num livro e pensar que devia tê-lo feito melhor… Evidentemente que posso pensar que podia tê-lo feito de outra forma, e talvez não dissesse isso a respeito de todos os meus desenhos de ilustrador (para a imprensa, publicidade, etc…), mas eu praticamente já não sou ilustrador para outros, com trabalho encomendado, sou um autor. E cada um dos desenhos está, antes de tudo, ao serviço da ideia do livro, o que, para mim, é o mais importante.

 

Cria Cria: Vos moments de création sont-ils en général heureux? Ou bien sont-ils difficiles? Avez-vous une bonne relation avec les illustrations que vous terminez et ajoutez à votre portfolio? Êtes-vous toujours content du résultat de votre travail?

 

Hervé Tullet: Il y a beaucoup de moments d’inspiration: à tous les moments peut surgir une idée ou un bout d’idée, et là il faut la noter vite, car les idées s’envolent! Il y en a un de particulier… C’est quand je vais dans les écoles… C’est un moment très important pour moi… Non pas pour lire ou présenter mes livres, mais les vivre et à partir d’eux d’imaginer ce que l’on peut faire ensemble (le groupe et moi) là. C’est aussi un moment d’improvisation et donc de liberté et donc d’inspiration, car c’est un moment où je ressens jusqu’où on peut aller avec les enfants (et là je pense que l’on peut aller très, très loin…). Et là bien sûr ce sont des moments très heureux… Faire vivre mes livres et à partir d’eux explorer d’autres chemins… Mes illustrations vont rarement dans la poubelle. Souvent je les réutilise, je retravaille dessus, cela leur donne une histoire, une matière… Et puis, bien sûr, je me dois d’être satisfait de mon travail… Quelle horreur d’imaginer de voir et de revoir un dessin dans un livre et de penser que l’on aurait dû mieux le faire… Bien sûr, je peux penser que j’aurais pu le faire autrement, et puis je ne dirais peut-être pas ça de tous mes dessins d’illustrateur (pour la presse, la publicité, etc…), mais je ne suis pratiquement plus illustrateur pour d’autres, dans un travail de commande, je suis auteur. Et chacun des dessins est avant tout au service de l’idée du livre, ce qui est le plus important pour moi.

 

ilustração originalmente publicada na revista Parole [2010]

illustration originalement publiée dans le magazine Parole [2010]
Advertisements

Leave a comment

Filed under Ilustração

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s