Histórias sem letras [no Carrossel com Rita Cavaco]

 

A produção da imagem como contadora de histórias tem chegado até nós através da pintura, da fotografia e, mais tarde, do cinema (ainda que, aqui, dinamizada pelo movimento e pela música). Nos livros, por contraste, as imagens são, geralmente, esperadas como complemento do texto e não tanto como a única linguagem disponível. Para várias idades, uns mais dramáticos que outros, os livros de histórias sem letras, pelas releituras que exigem e por possíveis interrogações que vão suscitando, são um verdadeiro estímulo e um desafio muito grande à imaginação e à capacidade interpretativa de qualquer pessoa.

– “Uma história sem letras.”

– “Elas estão aqui!” (seguindo, com o pequeno indicador, linhas imaginárias no branco vazio da folha)

 

 

Uma das editoras que optou pela publicação de alguns livros neste formato, em Portugal, foi a Gatafunho. Sendo já referências no seu catálogo, os livros “Onda” e “Espelho” (2009), ambos de Suzy Lee, dão vida à rebeldia de uma menina que gosta de desafiar a natureza. Mais recentemente, em 2011, a Bags Of Books editou uma trilogia – “O ladrão de galinhas”, “A vingança do galo” e “A pesca”, de Béatrice Rodriguez – que nos deixa na expetativa até ao final de cada história. A Kalandraka deliciou os mais pequeninos com “Ah” e “Oh” (2007), de Josse Goffin, ou com “O balãozinho vermelho” (2006), de Iela Mari, e sensibilizou os crescidos com o realismo de Shaun Tan em “Emigrantes” (2011). Publicado pela Caminho, Thé Tjong-Khing envolve-nos na perseguição a um par de ratinhos em “Onde está o bolo?” (2008). Por fim e totalmente em português, fomos à “Praia mar” (2011) com Bernardo Carvalho, e lembramo-nos que “Todos fazemos tudo” (2011), pela mão de Madalena Matoso, a convite da Planeta Tangerina.

 

Rita Cavaco [convidada do Carrossel Cria Cria*]

 

*O Cria Cria completou no início deste mês um ano de vida. Como presente, pedimos um carrossel. O verão está quase a chegar, e é no nosso carrossel, na companhia daqueles que ao longo deste ano nos ajudaram a crescer e a dar os primeiros passos, que queremos sentir a sua brisa quente. As nossas viagens serão feitas com outras crianças sem idade, como nós: escritores, editores ou distribuidores cujos trabalhos na área cultural e pedagógica para o público infantojuvenil nos motivaram e inspiraram ao longo destes 12 meses. Fieis ao lema de um antigo carrossel que garantia sempre “mais uma volta, mais uma emoção”, queremos que cada um desses nossos convidados passe um longo fim de semana connosco, partilhando a cada nova volta do carrossel uma nova emoção: propostas de paixões pessoais mais ou menos recentes neste campo (e não só…), ideias que nos tenham escapado e que sabemos que vão transformar o Carrossel Cria Cria numa aventura mais feliz e bonita. Em junho, julho e agosto, sempre à sexta feira, ao sábado e ao domingo, aqui brindamos à entrada no nosso segundo ano e aqui celebramos o solarengo estio – época em que, mais do que nunca, as crianças querem estar com os velhos amigos, conhecer novos, brincar, trocar conhecimentos e experiências… e ver a vida a andar à roda… Para continuar a fazer rodar o nosso Carrossel, temos neste fim de semana a companhia de Rita Cavaco, da Fnac e da Muda Magazine, revista digital de artes.
Advertisements

Leave a comment

Filed under Ilustração, Literatura

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s