“Onde moram as casas”, de Carla Maia de Almeida e Alexandre Esgaio

 

“Mal entramos, apetece-nos estar. Ou mesmo ficar para sempre”. É o que se sente relativamente à mais recente obra de Carla Maia de Almeida, com ilustrações de Alexandre Esgaio, publicada pela Caminho – “Onde moram as casas” é o título, assim, sem ponto, sem interrogação, sem exclamação, sem dois pontos ou reticências, mas com todos esses e outros sinais de pontuação como possibilidade. “Imaginado e escrito” durante o ano de 2010, em Can Serrat (Barcelona), graças à atribuição de uma bolsa de residência para autores da Direção-Geral do Livro e das Bibliotecas, “Onde moram as casas” resulta bem lido e desvendado, tocado e pensado, em espreitadelas poéticas e nos irónicos mistérios e emolduradas surpresas, divertidas, autorreferenciais, a desbravar demoradamente nas ilustrações.

Nas guardas iniciais, uma coleção de janelas fechadas – quem habitará por detrás de cada uma delas? Nas guardas finais, as respostas (aquelas pessoas, ou outras, porque não?). Veja-se a dupla página da despensa e listem-se os rótulos, aleatoriamente ou seguindo uma qualquer orientação de leitura – sorriso garantido para muitos (eventualmente algum visionário do marketing e vendas pegará na ideia), enigma assegurado para outros (a quem porventura faltará alguma bagagem literário-cultural): Ovos Humpty Dumpty, Sumo Laranja Mecânica, Atum Moby Dick, Chá de Tília Jardim Secreto, Mel do Bosque Cem Acres, Sementes de Girassol Van Gogh, Peixe Cru Samurai, Ervilhas em lata Princesa, Água mineral Athos, Porthos e Aramis, Comida para Gatos Guerra, Comida para Cães Paz, Especiarias Salgari, Bolachas Trinca-Fortes, Mostarda Dali, Rum Haddock, Cereais 0% Açucar Tiffany’s, Farinha Láctea Capitão Kidd…

Apetece de facto habitar este livro, percorrer o jogo da glória numa página, demorar-se nos recantos da cozinha noutras, mudar de perspetiva, fazer zoom em lugares secretos, brincar às casinhas, apreciar paisagens, ver por onde andam os gatos, detetar incongruências ou desvendar pistas que nos ajudam a descobrir lugares por onde já passámos antes na nossa leitura destas páginas assoalhadas. Uma dupla promissora, com Alexandre Esgaio testando com sucesso o terreno da ilustração fora do seu universo habitual dos fanzines e com Carla Maia de Almeida em plena maturação literária, partilhando cumplicidades e memórias, desconstruindo estereótipos de leitura e etiquetagens apressadas.

 

livro “Onde moram as casas”, de Carla Maia de Almeida [texto] e Alexandre Esgaio [ilustrações]
Caminho, 2012
[a partir dos 5 anos]

 

Paula Pina

Advertisements

Leave a comment

Filed under Ilustração, Literatura

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s