“Outra vez!”, de Emily Gravett

 

Em 2005, ganhou a Kate Greenway Medal, com “Wolves”, ainda estudante de arte. Repetiu a façanha em 2008, com “Little Mouse’s Big book of fears” (publicado no ano passado em Portugal pela Livros Horizonte como “Grande livro dos medos do pequeno rato”). De jovem adolescente sem recursos, passando por uma vida semi-nómada na rua, juntando-se a um grupo de ativistas dos direitos dos animais, alimentando-se do que conseguia obter e trabalhando onde podia, até se tornar numa das autoras mais admiradas no panorama atual do álbum ilustrado para crianças, o caminho foi longo, penoso, de liberdade decerto, mas também de dureza e resiliência. Dava um filme, podemos pensar. De facto, Emily Gravett mantém ainda um diário gráfico (o mesmo que, após muita insistência, exposto na sala de admissões da universidade, perante um júri exigente e tradicional, lhe abriria as portas para uma formação superior e uma carreira notável), no qual regista, quotidianamente, os acontecimentos felizes, extraordinários, notáveis, surpreendentes, os importantes e os sem importância alguma. Esses registos parecem servir um triplo propósito: por um lado, o desenho é, inequivocamente, o seu modo natural de expressão; depois, o registo gráfico funciona como artefacto pedagógico e educativo, oferecendo uma espécie de manual de lições de vida, para a filha; finalmente, a memória do passado que a não deixa repousar, as reminiscências de quem, enquanto ser renegado, vivendo à margem das convenções sociais, acabou por conhecer o lado mais obscuro da natureza humana.

 

 

Inteligente e irónico, “Outra vez!” cativa e surpreende desde o primeiro instante, da capa e contracapa às guardas, salientando-se a original estrutura livro-dentro-do-livro-dentro-do-livro, bem como a imediata identificação com as atrativas personagens draconianas e o reconhecimento cómico do contexto (para muitas famílias, a hora de ir para a cama implica mais do que uma história – pode suscitar um verdadeiro drama…). Claro que o cuidado com que Emily Gravett trabalha os detalhes pouco convencionais, pessoais, divertidos e absurdos, a sofisticação e a economia, o seu inato sentido de construção de tensão e o dinamismo minimal, fluido, instintivo, o humor visual e textual, bem como os pormenores ecléticos e metarreferenciais, em que se misturam épocas, registos narrativos e elementos tão diferentes, que se oferecem ao desbravamento por um olhar atento, tornam este livro apelativo para pais e filhos. A servir-nos de guia, a própria Emily Gravett lá está, figura participativa, em fotografia de badana, segurando um aviso reconfigurado: “Não obstruir. Saída de emergência”. Vale mesmo a pena analisar a gradual metamorfose camaleónica do dragãozinho e as consequências incendiárias desta “história antes de dormir”.

 

“Outra vez!”, de Emily Gravett
Livros Horizonte, 2011
[a partir dos 2 anos]

 

Paula Pina

Advertisements

Leave a comment

Filed under Ilustração, Literatura

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s