“O substituto”, de Tony Kaye

capa tony kaye o substituto

 

Estranha conjuntura: vemos e ouvimos infinitos debates sobre a “escola”, os “alunos” e os “professores”, todos eles imbuídos de uma urgência mais ou menos gritada sobre a gravidade do momento que vivemos, a necessidade de preservar os valores que nos unem, enfim, as ameaças que pairam sobre a juventude… Ao mesmo tempo, esta é uma sociedade que não sabe transformar num grande e genuíno acontecimento um filme como “O substituto”. A imagem dominante dos filmes confunde-se com os números das bilheteiras e a agitação dos efeitos especiais, não com a contundência de um objeto de cinema (agora disponível em dvd) que coloca em cena a crise docente e moral, intelectual e afetiva, de um professor que é levado a questionar a vida errática dos seus alunos, nesse processo sendo conduzido a uma introspeção que, para além da dimensão profissional, o devolve às zonas mais remotas e perturbantes da sua história pessoal. Tony Kaye continua a fazer filmes não alinhados, contrapondo os restos dispersos do “american dream” à América contemporânea. Daí o peso simbólico da personagem deste professor que não desiste de ensinar a possibilidade da beleza.

 

João Lopes

 

dvd “O substituto” [“Detachment”], de Tony Kaye, com Adrien Brody, Marcia Gay Harden, Christina Hendricks,…
Alambique, 2011 / 2013
[a partir dos 14 anos]

 

ler texto integral no Doodles

 

Advertisements

Leave a comment

Filed under Cinema

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s