“Lisboa”, de David Pintor

capa lisboa

 

David Pintor está em Lisboa. Na verdade, o humorista gráfico, pintor e ilustrador premiado – conhecido em Portugal pelas obras “Nicomedes, o careca“, “Minimalário” e “Contos para meninos que adormecem logo a seguir”, todos da sua dupla Pinto & Chinto – está em Lisboa tanto quanto Lisboa está nele. Corremos aliás o risco de com ele nos cruzarmos numa qualquer esquina branca ou esplanada solarenga no Chiado ou na Graça, aproveitando o verão de São Martinho – ouvimos os seus passos na calçada empedrada, que ondula à sua passagem e ressoa com os toques da campainha da bicicleta vermelha.

 

david pintor lisboa 1

 

Viajante experimentado, Lisboa é a segunda cidade, depois de Compostela, a merecer as honras do seu traço elegante, ligeiro e bem-humorado. Neste caderno de viagem, Pintor captura e acarinha pedacinhos da cidade, em perspetivas e ângulos inusitados, acrescentando aos detalhes visíveis ainda outros elementos imaginários, inesperados, simbólicos ou icónicos (uns mais óbvios, outros mais secretos), com a naturalidade e graça de quem adiciona um toque surreal de canela ao café. O ilustrador que vê, e que se desenha enquanto vê, passa a ser também o ilustrador que é visto a ver. Graças a este jogo, o nosso olhar-de-leitor transmuta-se em olhar-de-vedor, que redescobre a cidade. Identidade patrimonial, herança arquitetónica, visão turística e acidental da paisagem em toda a sua pequenez e monumentalidade, misturam-se com a identidade autoral por intermédio da personagem alter-ego. David Pintor surge em autorretrato, enquanto protagonista que deambula, rodeado de objetos que se repetem, e no entanto nunca o fazem, brincando com autorreferências e subtis homenagens (como é o caso do onirismo de Chagall e dos seus “violinistas”). Edifícios, monumentos, prédios, bairros, praças, jardins, recantos, esplanadas, terraços, calçadas, varandas, estendais, despedem-se da sua fixidez de fotograma e acontecem de novo, surpreendentes e exclamativos. Pode ser um passeio descomprometido, mas os sorrisos que se desprendem das mais de 30 imagens revelam intensidade e paixão: pela cidade e pela arte.

 

david pintor lisboa 2

 

Há oportunidade para conhecermos o autor durante as sessões de lançamento de “Lisboa” promovidas pela editora Kalandraka já neste próximo sábado, dia 16: às 4.30 da tarde na livraria Bertrand do Chiado e às 9 da noite na F.I.L. (stand das BLX, no âmbito do Festival IN – Inovação e Criatividade). David Pintor deve estar sentado, com um caderno de esboços no colo. Usará sapatilhas vermelhas, uma camisola de riscas horizontais, um chapéu. A tiracolo, trará uma sacola, a transbordar de lápis e de pincéis. Em cima da mesa, um café fumegante. Podem passear com ele seguindo as pistas da bicicleta vermelha, dentro e fora deste “Lisboa”.

 

Paula Pina

 

livro “Lisboa”, de David Pintor
Kalandraka, 2013
[a partir dos 12 meses]

Advertisements

Leave a comment

Filed under Ilustração, Literatura

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s