Tag Archives: Yasujirô Ozu

“A flor do equinócio”, “Bom dia” e “O fim do outono”, de Yasujirô Ozu

yasujiro ozu ohayo

 

Parafraseando um dos seus mais emblemáticos títulos, celebremos o facto de, um ano depois da primavera comercial tardia de “Viagem a Tóquio” (1953) e “O gosto do saké” (1962), Yasujirô Ozu estar de regresso aos cinemas portugueses com um ciclo no Espaço Nimas (com uma breve passagem, em agosto, pelo Theatro Circo, Braga, e, em setembro, também pelo portuense Teatro Municipal Campo Alegre), que, a partir de hoje, exibirá três das mais esplendorosas longas metragens da fase final da sua filmografia, agora em versões restauradas digitalmente. “A flor do equinócio” (1958), “Bom dia” (1959) e “O fim do outono” (1960) são três dos apenas seis filmes que Ozu dirigiu a cores. Talvez por esse motivo, as três obras que agora iluminam a sala do Nimas parecem sublinhar e consolidar as particularidades que distinguem a vasta carreira do realizador, não somente quanto às escolhas narrativas – o tema da família e das Continue reading

Advertisements

Leave a comment

Filed under Cinema

“Viagem a Tóquio” e “O gosto do saké”, de Yasujirô Ozu

yasujiro ozu tokyo monogatari viagem a toquio

 

Enquanto retratista das convulsões da sociedade japonesa e, em particular, da reconversão dos espaços familiares depois da II Guerra Mundial (temas exemplarmente cristalizados nestes dois filmes), Ozu foi também um autor, por excelência, do cinema como ato de uma partilha enigmática, quase secreta, com aquelas figuras humanas, ao mesmo tempo tão carnais e tão etéreas, que observamos no retângulo mágico que emerge da escuridão. Daí o encantamento que persiste no ambíguo realismo de “Viagem a Tóquio” e “O gosto do saké”: por um lado, deparamos com variações obsessivas sobre a frágil unidade da família (no primeiro caso, através de um casal que se desloca a Tóquio para visitar os filhos; no segundo, acompanhando a saga de Continue reading

Leave a comment

Filed under Cinema